sexta-feira, 30 de abril de 2021

Não deixes para depois

Não deixes para depois...

Dizer a alguém que gostas dessa pessoa, agradecer-lhe, reconhecer o que pudeste aprender com ela e que contribuíu para o teu amadurecimento e capacitação.

Não deixes para depois, para realizar um convite que estava feito, uma visita que estava prometida; um telefonema para saber da pessoa.

Não deixes para depois a prestação de um serviço, uma ajuda que te pediu. 

Não deixes para depois a revisão de alguma situação do passado, para que te possa falar da sua experiência e tu da tua, sem acusações. Não fales de quem naõ está presente. Apenas como cada um e viveu a experiência, o que foi sentido e o que acreditavam na altura.

Pode não haver tempo útil. Não adies.

Um dia a pessoa está cá. No dia seguinte pode não estar. Nada está garantido nesta vida.

Antes de falares, faz primeiro o teu trabalho interior

Caso tenhas ressentimentos com uma pessoa que tem ou teve impacto na tua vida, NÂO FALES com essa pessoa sem fazeres o teu trabalho interior, sem explorarares as tuas ideias, os preconceitos, comportamentos. Sem tirares uma aprendizagem maior sobre uma situação e obteres uma compreensão mais alargada do que se terá passado na realidade; veres-te a ti e ao outro a partir de uma dimensão elevada de consciência.

Aprendi que na maioria das vezes, as coisas não são como as vemos. Falta informação e clareza.

Caso não faças esse trabalho contigo, que poderá levar um bom tempo, talvez vás acusar o outro pelos teus ressentimentos, mágoas, feridas por sarar e te sintas pior contigo, o que não levará ao encontro da paz interior.

Se fizeres o teu trabalho interior, conseguirás falar a partir de um lugar de maior compreensão, compaixão, aprendizagem e uma enorme paz! 

Haverá uma compreensão do outro, bem como da tua. Das dificuldades do outro bem como das tuas. Realizarás que o outro deu o seu melhor e que acreditava nisso. E poderás realizar que por vezes, apesar das tuas boas intenções, o teu melhor pode não ter o efeito que imaginavas. 

Esta é a minha experiência pessoal.

Não deixes nada por dizer ou fazer. Ficará tudo mais fácil se, entretanto a pessoa largar o corpo físico. Sentimentos de culpa não chegam a aparecer.

A experiência verdadeira do perdão e compaixão

É uma consequência de um trabalho interior, de exploração e reconhecimento e ver tudo de forma prática e alargada, com mais opções e ângulos diferentes. Não é possivel chegar a este nível de consciência de outro modo, a forçar o que não é real.

Perdão e compaixão, tal como Gratidão são manifestações espontâneas.

Quando a pessoa deixa este Plano de existência, ainda que a dor esteja lá, há uma paz que também está e a sensação ''fiz o que era para fazer, aprendi o que era para aprender''.

Tu ''saberás'' a um nível profundo dentro de ti, para lá da tua mente, que fizeste o que era para fazer, estiveste onde eras para estar. Fizeste o que a vida te pedia, mesmo quando achavas que devias estar a fazer algo diferente. 

Não há, para mim, maior realização nesta vida do que isto! É um êxtase inexplicável a todos os níveis. Todo o meu corpo borbulha!

Caso tenhas adiado fazer ou dizer algo que sabias, lá fundo, que era para fazer ou dizer

É típico no ser humano deixar para depois, quando tiver tempo, quando me sentir melhor, quando for o melhor momento...

Se isto te aconteceu, não precisa de ser um drama. Não precisa de ser um problema.

Não precisas de te culpares, acusares, maltratares por isso. Sê amoroso(a), compassivo(a) e carinhoso(a) contigo. Afinal és humano(a). Estás a aprender e a amadurecer. 

Há solução. Podes ver esta oportunidade para uma realização maior dentro de ti que poderá trazer mudança em ti, bem-vinda. 

Podes fazer agora o teu trabalho interior e tirar a aprendizagem da experiência. Podes rever o teu comportamento e explorar as ideias à volta deste assunto e ganhar sabedoria a partir desta experiência, que poderás usar com outros para os ajudar numa situação semelhante. 

A tomada de consciência, a aprendizagem com a situação , levará certamente a uma mudança de comportamento para com outros, noutras situações e, para mim, fará desaparecer toda a culpa que possa existir, dando lugar a emoções nobres de bem-estar.

A tua vida ganhará um sentido maior. Sim, farás a diferença na vida de outros assim como na tua.

Sim, talvez isto te tenha acontecido por uma missão Maior, para te enriquecer e dares um salto de consciência.

Na minha exploração dos mistérios da vida, tenho para mim, cá bem no fundo que ficaremos sempre ligados por meios invisíveis e inexplicáveis àqueles que fizeram parte das nossas vidas e nos influenciaram de algum modo. E mesmo depois de deixarem este Plano de existência para trás, o trabalho que fazemos, chegará a eles. Não temos de nos preocupar com o ''Como''. Isso será parte da Inteligência Superior, do Criador da Vida. 

Mesmo que não tenhas qualquer crença sobre o Criador da vida e do Universo, uma Inteligência Maior que dá vida a tudo, ao fazeres o teu trabalho interior, poderás encontrar a paz profunda, decorrente de entrares em contacto com uma Sabedoria Interna Maior, talvez a Presença da tua Alma. Tu ''saberás''.

Como sei?

Porque tenho feito o meu trabalho interno nos últimos 12 anos... a trabalhar aspetos do meu passado e presente. Coisas minhas. E posso dizer que o modo como vejo é completamente diferente do que via até há 12 anos atrás. Ao lembrares uma pessoa ou situação, vês coisas novas. Não consegues ver o que vias antes. Logo, o que sentes é diferente. Deixaram de aparecer os sentimentos, as emoções tóxicas que apareciam antes e que me causavam perturbação e mal-estar. 

A Vida Continua...

O meu pai deixou exte Plano há uns dias. Apesar de 88 anos, não tinha nada que indicasse que a vida iria abandonar o corpo físico. Viveu lúcido, consciente, autónomo e, de repente foi-se. Sinto-me satisfeita por ele. Foi rápido para ele. Não passou por qualquer processo prolongado de doença. 

Neste momento estou a processar e a fazer o meu trabalho e aprendizagem relativo à perda. O sentimento de perda tem algo a mostrar-nos. Indica que nos identificamos com algo. Aquela pessoa representava algo que parece ter desaparecido. A fazer a minha aprendizagem.

Logo que me sinta capaz, tenho ideia de avançar com um curso que já há 1 ano ou mais andava aqui a delinear-se com base na minha experiência e aprendizagem de fazer as pazes com o passado e com as pessoas que nos fizeram sentir magoados, abandonados, maltratados.

P.s. :Há cerca de um ano, resolvi parar a minha atividade nesta área e neste blogue. Dediquei-me exclusivamente ao trabalho comigo e com a minha vida.

Estou curiosa para ver, agora, para onde a vida me irá orientar.

Um abraço e boas reflexões e descobertas,

Ângela Antunes

_______________________________________________________________________

Ângela Antunes

Facilitadora do Trabalho d’A Sombra Humana numa vertente Espiritual | Educação Emocional 
Quando queres ver a vida de outra maneira...

Sessões À Distância | Odivelas (Quinta Nova) | Lisboa (Espiral)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.